sexta-feira, maio 04, 2007

Nada de útil, nada de novo, vou voltar a escrever aqui...

Gosto de estar sozinho, mas não gosto de ser sozinho. Gosto quando tem alguém ali do lado, quietinho, mesmo que seja um espelho, então eu vejo e fico insatisfeito. Como se tudo que eu desejasse dependesse da opinião de quem está por perto. Não tem ninguém aqui agora. Deixo livre esse espaço para tentar pensar e isso só leva o que sei a preocupações maiores, coisas que na verdade não preocupam, só decepcionam, vão embora com as horas deixando o claro aviso de que estão por perto. É esse o tipo de Companhia que me cerca, não existem, não podem ser tocadas, mas todos conhecem e sabem, isso requer uma atenção cuidadosa. Os medos continuam sondando o que penso, impedem sorrisos quando bem entendem, limitam minha vida ao conformismo e a fácil aceitação do que eu não gosto, mas preciso... Preciso?
Eu não preciso de um carro, um emprego, dinheiro e essas coisas. Então todos dizem o quão aproveitador eu sou e que todos precisam sustentar-se! Não quero ser o dependente de todos, não quero depender. Quero que o mundo saia da minha cabeça deixando espaço suficiente para o simples. Ser sociável e amável sem ter de atuar. Devora o resto de mim viver em uma rotina cheia de pessoas e sem nenhuma companhia. Ser o resto de mim mesmo... Todos os lugares estão vazios, todos os rostos estão vazios, deixando cada vez mais longa a já interminável rotina do dia a dia. Vão se espalhando os pedaços das vidas em pontos e paradas, fragmentos que nunca se misturam, nunca deixarão de existir. Eu vou juntando os pedacinhos, recolhendo devagar o pouco que resta do que eu queria ser. Ainda estou sozinho aqui, olhando para tudo que não vai acontecer comigo.

Um comentário:

Dudu disse...

vc tb?!
Será 1a nova onda?!